Série da vez: Ordem na Casa com Marie Kondo

5.1.19

Sabe a Marie Kondo? Aquela japonesa simpática que dá várias dicas de organização? Tudo bem, eu também não li o livro "A mágica da organização" que ela escreveu, mas já ouvi falar sobre e achei bem interessante o método que ela usa. Como uma resposta do universo ao meu desejo de arrumar meu quarto - e consequentemente minha vida - nesse ano novo, a Netflix lança a série Ordem na casa com Marie KondoÉ pra isso que eu pago internet!

Não hesitei a começa-la, mas não imaginei que seria tão leve. 

A série conta com oito episódios e em cada um ela visita uma família diferente em todos os seus aspectos e necessidades, mas com o mesmo propósito: dar um jeito na tremenda bagunça que acumularam durante anos. É lindo ver o modo como as pessoas vão se descobrindo, descobrindo a família e a própria casa na medida em que organizam tudo. Mais que arrumação - de uma forma prática e objetiva - a consultoria da Marie vai nos mostrando como as coisas que mantemos ao nosso redor tem o poder de influenciar em quem somos, nos entristecendo e deixando ansiosos ou nos alegrando e deixando leve.

De alguma forma, associei organização a decoração, então acabei achando que a série trataria sobre isso também, mas estava enganada. Marie não ensina as pessoas a decorarem suas casas, muito menos dá ordens do que devem jogar fora ou não. Sua dica é muito simples: fique apenas com o que te faz feliz. Marie nos propõe a sentir (fisicamente e espiritualmente) cada um dos nossos pertences e avaliar se eles nos fazem feliz ou não, e então dá dicas clássicas de organizar de maneira mais eficiente e que ocupe menos espaço.

Por tudo que assisti e consegui reproduzir dentro do meu próprio quarto agora, as maiores lições da Marie Kondo são sobre te permitir entender o seu espaço. Ela chegou em casas que a pilha de roupas quase chegava ao teto, ou os cômodos estavam entupidos de objetos que a impediram até de ver o carpete, mas ela não julgou nenhuma dessas pessoas, apenas abriu uma chave para que se questionassem o que queriam levar para o futuro .

Além de ser muito fofa e sorridente, a maneira respeitosa e pouco invasiva com que trata os pertences das pessoas mostra um outro lado da organização, não como alguma coisa chata e cansativa, mas como um meio de nos conectarmos com que fomos, quem somos e quem queremos ser.

Pode parecer bobagem, mas considero que assistir a essa série tenha contribuído um pouco mais para o meu crescimento pessoal. Adquirir responsabilidade comigo e com o que quero para o meu futuro inclui ser responsável com tudo o que tenho, inclui me sentir feliz e acolhida com o que enxergo ao meu redor.

Vocês já tiveram a sensação de que a vida não vai dar certo se você não arrumar aquela gaveta de papéis hoje? Ou que o furacão que passou dentro do seu guarda roupa e a cama desfeita tornam seus dias ainda piores? Talvez seja um sinal terrivelmente adulto, mas penso muito sobre isso agora. Se a vida dentro do meu quarto não estiver funcionando, nada fora dele vai estar.

Então, se você quer começar o ano com o pé direito e sendo mais organizada, indico muito que assista Ordem na Casa com Marie Kondo, disponível na Netflix. Ah, não se esquece de deixar aqui nos comentários se você gostou do post e o que achou da série, caso vá assisti-la ou já assistiu. Beijos!

Que tal esses?

2 comentários

  1. Eu também costumo pensar que se minhas coisas não estiverem organizadas minha vida tá uma bola de neve descendo a montanha, só que desde a virada de ano estou perdida. Mil coisa pra fazer, resolver e arrumar mas to parada no tempo como se tudo fosse se resolver só.
    Adorei a indicação, Ju. Irei começar a série assim que possível e espero lembrar onde guardei minha motivação e coragem hahaha :*

    ResponderExcluir
  2. É para isso que eu pago a internet! Hahaha! Ainda não assisti, mas vi muita gente falando sobre no Twitter, com certeza assistirei o mais rápido possível! Deve ser de grande utilidade.

    Cheiro de Pipoca

    ResponderExcluir

Google +

Facebook

Quote #1

"Devemos sempre acreditar que, por mais difícil que seja, lutar por aquilo que queremos não é perda de tempo."

- Anne Ferreira