Me perdi dentro de mim

28.8.17

Ultimamente tenho olhado ao meu redor e para dentro de mim e já não reconheço tudo isso que me cerca e que me preenche. Os anos foram passando e o botão do automático foi ganhando espaço na minha vida, fui perdendo aquele instinto de fazer o que realmente gosto, no tempo que eu quero e sentir alegria em tudo que eu vivo. Parece que a vida foi me massacrando, entende? Me dando escolhas entre isso e aquilo e eu não consegui bater o pé para permanecer com ambas as opções (ou com a que de fato eu gostaria de ficar).

Ainda lembro quando eu chegava em casa com um livro novo, encantada com aquele mundo que estava prestes a descobrir, embriagada com o cheiro marcado entre as páginas... Nada mais importava senão ficar o dia inteiro deitada conhecendo aquela história. A casa poderia esperar, o banho poderia esperar, a hora do sono poderia esperar.

Agora sinto que isso morreu, sabe? Já perdi as contas de quantos títulos estão esquecidos na minha estante, choramingando baixinho por nunca terem sido lidos, de quantas histórias deixei pra quando "estiver mais livre" e esse dia ainda não chegou. A faculdade, o emprego e a vida adulta como um todo não me permite aproveitar esse pequeno luxo um dia inteiro. A consciência pesa e a gente tem que escolher as prioridades e cumprir primeiro com as nossas obrigações. 

Já não posso me perder no meio de tanta literatura porque a vida não é um conto de fadas, não é um livro com um final feliz. A vida é uma pilha de leis, princípios e doutrinas que tenho que saber de cor e salteado para conseguir resolver os problemas de outras pessoas enquanto finjo que os meus não existem e não me assombram todas as noites.

Também tenho muitas lembranças do quanto eu amava escutar músicas, mas acreditam que até isso foi perdido? Aquele interesse em decorar uma música em inglês, em conhecer os lançamentos das minhas bandas favoritas, de baixar várias músicas para escutar no caminho até em casa ou na hora de lavar os pratos... Tudo isso sumiu. Perdi em alguma curva da vida que arrancou de mim esse prazer em cantar a vida, as alegrias e as tristezas dela. Não sei como, não sei o porquê. 

É por isso que todas as vezes que me olho no espelho já não me reconheço e sinto que me perdi de mim. Me perdi dentro de mim. Entre as coisas que eu queria e as que eu acreditava que precisava fazer, escolhi o caminho errado e ainda não conseguir voltar até a minha trilha. Todos aqueles pequenos prazeres foram perdendo espaço para coisas que pareciam fazer mais sentido. Mas não fazem. Ou deixaram de fazer quem me levaram a me perder dentro de mim e apagaram tudo aquilo que eu era.

E agora sigo tentando me redescobrir, esperando que quem eu sou de verdade grite meu nome.

Que tal esses?

6 comentários

  1. A vida muitas vezes torna-se complicada. O que era tão simples como tirar um tempo dos nossos dias para ler um livro, ou ouvir uma música, já não é mais. Não há tempo para isso. Não há tempo para nós próprios.
    Revi-me nas palavras deste texto. Gostei imenso!

    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou do texto, espero que te ajude ♥

      Excluir
  2. Eu passei exatamente por isso, mas agora estou bem melhor. Se quiser conversar estou aqui, parabéns pelo texto, não desista e não se afaste do que te faz feliz, um beijo

    ResponderExcluir
  3. Que texto maravilhoso, super me identifiquei. Amei conhecer seu blog :D

    http://submersa-em-palavras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Google +

Facebook

Quote #1

"Devemos sempre acreditar que, por mais difícil que seja, lutar por aquilo que queremos não é perda de tempo."

- Anne Ferreira