Veja bem, eu sei quem eu sou

29.9.16

Um dos maiores atos de bravura que podemos ter em nossa vida, é sermos nós mesmos. Desligar-se um pouco do mundo e mergulhar no poço que é a nossa alma e lá encontrar os nossos desejos mais íntimos, os medos mais profundos e os sentimentos mais sinceros. Não acredito que seja possível nos encontramos quando estamos perdidos no meio da confusão alheia, das opiniões, da imposição e do controle doentio em ser alguém "perfeito".

Também não acredito que existam traços de personalidades certos ou errados quando eles não fazem mal a ninguém. Bem, se fazem, deve haver algo de errado, ou pelo menos, humanamente incomum, sim. Não permita que te digam que você é uma pessoa esquista, otimista, sonhadora, fora dos padrões ou seja lá o que que te chamam. Melhor, dispense as adjetivações. Quando sabemos exatamente quem somos e mais importante que isso, mostramos ao mundo que o sabemos, não precisamos contar com a opinião de ninguém a nosso respeito.

O caminho até esse encontro consigo mesmo é a parte mais difícil, mas vale a pena percorrê-lo. Não sei vocês, mas não sou capaz de me imaginar sem a minha dose de personalidade. Me refiro ao que eu penso, ao que eu visto, ao que sinto, ao que falo, ao que calo... Podem me apedrejar o quanto quiserem, mas nada na minha vida faria sentido se eu não fosse assim. Juliana não seria Juliana sem o drama, sem os sonhos infinitos, sem a poesia, a teimosia, a arte, o orgulho, a mania estranha de transformar tudo em lágrima, as crises existenciais e a esperança absurda no amanhã. Tudo isso sou eu e veja bem, eu sei quem eu sou.

Meu amado Paulo Leminski versificou o que sinto nesses versos que fiz questão de impregnnar na alma, no coração e no pensamento:

"Isso de querer ser 
exatamente aquilo 
que a gente é 
ainda vai 
nos levar além."

Desejo que você abrace esses versos e essa perspectiva assim como eu abracei. Sei bem que cada traço que carrego, fazem de mim não alguém melhor ou pior que as demais pessoas, mas alguém diferente, peculiar, uma peça única com um destino único e traçado especialmente para mim, só pra mim. 

Não há nada de extraordinário em ser o que todo mundo é, fazer o que todo mundo faz, pensar e sentir como todo mundo pensa e sente. Extraordinário mesmo é ser do seu jeito, encontrar-se  e assumir-se como é. Por isso digo, sem culpa, a todos aqueles que acham de mim aquilo que nunca perdi e me medem com a própria régua (miúda de mais para a minha alma) que eu sei quem eu sou. Obrigada. 

Que tal esses?

7 comentários

  1. oi, oi.

    a gente sempre mesmo que somos. sabemos o que sentimentos, pensamos e as palavras certas pra dizer em determinados momentos. mais do que ninguém, a gente se conhece, sabe dos nosso anseios e desejos.

    adorei a tua reflexão. :)

    bjs!
    Não me venha com desculpas

    ResponderExcluir
  2. Só nós sabemos dos nossos medos, e sonhos. E acho que ninguém tem que ficar nos querendo mudar para ser o padrão. Todos temos os nossos jeitos, mas diferentes, e únicos.
    Ainda estou a caminho do encontro comigo mesmo, e sei sim que valerá a pena.
    Que texto bonito.

    Beijos.
    http://sobrevivendo-ao-caos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, querida! Espero que você se encontre dentro de si. Beijos.

      Excluir
  3. Nossa! Não é bajulação, mas eu senti vontade de compartilhar o seu texto com meus amigos, e olha que raros são os textos que sinto isso. rs Verdade. Não somos nós se não soubermos quem somos e lutemos por quem seremos. É importante saber quem és e lutar para que não tirem isso de você. Lindo texto, parabéns. Pude sentir um pouquinho dessa sua alma de menina madura. Amei. <3 bjooo

    ResponderExcluir

Google +

Facebook

Quote #1

"Devemos sempre acreditar que, por mais difícil que seja, lutar por aquilo que queremos não é perda de tempo."

- Anne Ferreira