D E Z E N O V E

8.3.16

Hoje faço dezenove. Aquele pequeno abismo entre a euforia dos dezoito e a inexatidão de duas décadas. O meio termo, o divisor de águas, a curva da estrada de Santos. É engraçado ficar olhando para essa tela tentando escrever alguma coisa sobre algo que você nem conhece. O que eu sei sobre esses dezenove? Nada. O conheci hoje, afinal. As expectativas sobre o que ainda está por vir são tão grandes que me pergunto se vale mesmo a pena ter essa fé cega e dar um tiro no escuro. O tempo dirá. 

Quanto mais dias eu vivo, mais me sinto como se estivesse nascido hoje e nada soubesse sobre a vida. Ok, nada talvez seja muito. Eu sei de algumas coisas.

Sei que o tempo não se conta no relógio ou em quantas velas em cima do bolo eu já apaguei. Sei que o planeta não vai girar devagar no meu dia, no dia que eu estiver mal ou no dia que eu estiver bem. O mundo não espera por ninguém. Sei que não é sempre que vou poder fazer o que gosto e que na verdade, é mais provável que eu passe mais tempo fazendo o que preciso fazer. Sei que acordar as sete é bem ruim, mas esse sacrifício pode um dia me deixar dormir até as dez. Sei que as vezes o trabalho é chato, o assunto é monótono e o conselho é em vão, mas um dia tudo o que ignorei vai fazer todo o sentido e irei pensar no quanto é válido aprender. Sei que a maturidade não se ganha, mas se conquista dia após dia ao levantar de uma queda. Sei que um lugar ao sol todos nós temos, difícil mesmo é um lugar debaixo de um guarda sol tomando água de côco.

Sei que o amor é um sentimento nobre, porém esquisito. Sei que viver a dois tem mais a ver com multiplicar do que com dividir. Sei que  por algumas lutas não vale a pena derramar tanto sangue. Sei que desistir as vezes tem mais a ver com coragem do que com covardia e que a covardia nada mais é do que o coração sem esperança. E de coração e esperança, só sei aquilo que sinto. Sei que sinto muito e de muito em muito, sobra muito pouco para arriscar. Sei que apostar todas as fichas não é um truque de mestre, mas de quem não tem uma manga suficientemente grande para esconder uma carta nela. Sei que cada escolha que se faz é uma porta que se abre, mas também é uma mochila que a gente tem que deixar na estrada.

Sei que as vezes que eu agradecer devem ser maiores do que as que eu reclamar. Sei que cada palavra que a gente cala e cada gesto que a gente nega é um arrependimento a mais para carregar. Sei que o arrependimento é a vergonha por se sentir covarde ou demasiadamente corajoso. A vida é rara e toda chance é única. Única de mais para ser usada da forma errada. Sei que entre o dezoito e o vinte, só há o dezenove. Entre ontem e amanhã, o breve instante de um simples agora

Sei que me sinto alguém que já viveu muito, mas sei que quanto a isso estou enganada. Ainda tenho muito tempo. Sócrates dizia que nada sabia e talvez eu de nada saiba também. Dos dezenove, só me restam trinta minutos, depois disso já será dezenove e um dia. E a cada dia a mais, serei grata pela chance que Deus me dará de saber um pouco menos.

Que tal esses?

15 comentários

  1. E não se preocupe. Também já tive essa idade e quando passar, você vai ver que foi mais fácil do que parecia. Aproveite o máximo que puder! :)
    Parabéns! <3

    conexaolunar.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Que post maravilhoso, eu detesto ter dezenove anos, queria parar nos 18 mas o tempo não deixa e logo terei 20 e cada dia que a passa eu fico mais incerta sobre o que vai ser da minha vida porque "como assim eu tenho 20 anos e ainda não estou cursando uma faculdade?" vai ser dificil pra mim quando a fica cair, mas a vida segue

    http://www.pinkisnotrose.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, feliz aniversário, e calma que tudo se ajeita...

      Excluir
    2. Digo o mesmo pra ti, tudo se ajeita!
      Obrigada :D

      Excluir
  3. Parabéns Juuuu! Você sempre arrasa nos textos <3 Adoro <3
    Cheiro de Pipoca

    ResponderExcluir
  4. Adorei ♥ A sensação é exatamente essa. Apesar de boa, ao mesmo tempo é terrível porque estamos perdendo o tempo, a vida. Estamos ficando velhos. Detesto ter dezenove e detesto mais ainda fazer vinte daqui dois meses. Mas seja feliz com dezenove, moça. Aproveite ao máximo. Curta cada pedacinho. Uma hora tudo se resolve.

    ResponderExcluir
  5. Arrasou no texto linda, parabéns mais uma vez, só que agora são dezenove e dois dias :)
    Tudo se ajeita, sem pressa e claro que é válido ter essa fé cega na vida.
    ��������

    ResponderExcluir
  6. Eu nunca tinha visto os 19 anos de uma forma romantizada como você escreveu. Meu ano de 2009 foi exatamente dessa forma: euforia dos 18 e medo dos 20.
    Parabéns!
    | Blog A Bela, não a Fera |
    |‎Youtube TAG Pokemon |
    | FB Page A Bela, não a Fera|

    ResponderExcluir
  7. Parabéns atrasadissimo,seus textos são os melhores.. há dois meses do meu aniversário de 19 é exatamente isso que sinto.. parabéns pelo seu dom !

    ResponderExcluir

Google +

Facebook

Quote #1

"Devemos sempre acreditar que, por mais difícil que seja, lutar por aquilo que queremos não é perda de tempo."

- Anne Ferreira