Sem o último adeus

25.6.15

Para quem está vivo, a pior coisa a se pensar e sentir é a morte. Despedidas são sempre melancólicas, principalmente quando a gente se despede pra sempre, se despede pra nunca mais ou, quem sabe, para um dia se ver em um lugar que só quem tem fé compreende. Não importa a sua idade, seu status social ou saúde, a morte é inimiga de todos e não adianta você fazer essa cara de espanto ao falar o nome dela. Talvez seja tão assustadora porque é desconhecida, afinal, a gente imagina como pode ser mas nunca esteve por lá para ter certeza. 

Na verdade, eu nunca a conheci, a morte. Nunca tive nenhum parente próximo ou amigo que subitamente faleceu. Durante esses meus 18 anos eu só ouço falar da dor e da perda dos outros e com elas já sofro muito. Já sofri por menos também. As vezes me pergunto se tantos anos de experiência serão capazes de amenizar a minha dor quando chegar a hora de me despedir de alguém para sempre. Acho que não. Despedidas são mesmo melancólicas. 

Eu sempre disse que não tenho medo de morrer e não tenho mesmo. Tenho medo de sofrer nessa hora, tenho medo de deixar pessoas morrendo diariamente com a minha partida, tenho medo de ir sem me despedir, sem sorrir pra quem eu amo, sem pedir perdão, sem ter feito o que eu tanto queria, mas não tenho medo de "ir dessa para uma melhor", afinal, o próprio eufemismo já diz: para uma melhor. Não deve ter sensação melhor do que fechar os olhos pela última vez e ter certeza que valeu a pena cada segundo vivido e que aquele momento não lhe causa dor, mas apenas alívio por ter chegado tão longe. 

Não estou depressiva, louca e nem nada. Apenas fico pensando quando a morte consegue ser "perfeita" assim, se é que isso é possível. Mas e quando não é? Escrevo esse texto em memória daqueles que partiram antes de abraçar o pai e a mãe, sem ter dado tempo de buscar seu filho no colégio, ter comprado o pão e colocado ração para os cães. Escrevo para aqueles que do dia para a noite, no meio do sono e de mansinho se foram. Escrevo para aqueles que teriam uma reunião, um jantar, uma formatura, um show para ir, mas não tiveram a chance de estarem vivos até lá. Escrevo para todos que foram pegos de surpresa e não estavam prontos pra ir, porque a morte não espera, meu caro. Ela chega de mansinho e quem menos a espera é quem mais sofre com suas consequências. A gente sempre acha que tem o amanhã e quando se depara com a realidade, o amanhã não veio e nunca mais virá. Sinto dizer.

Para os que vivem, escrevo pra dizer que aproveitem seus contados segundos, para que percebam que tudo aqui é efêmero e uma hora ou outra, vai passar. Escrevo para que não neguem um abraço, um, beijo, um sorrisso e o perdão. Escrevo para que a cada despedida deixem um pouco de alegria e paz, afinal, pode ser a última. Escrevo para que não vivam com medo de morrer, mas para que estejam sempre prontos para a hora que ela chegar. Se assim o fizer, saberei que quando você deixar de ser suas lembranças serão o suficiente para quem fica.

Que tal esses?

12 comentários

  1. Já pensei assim omo você, vai parecer lenga lenga, mas isso é da idade...
    Agora uma coisa é certa a Saudade no meio disto tudo é a que dói mais :/ :(

    *XoXo www.helenaprimeira.blogspot.pt

    ResponderExcluir
  2. Exatamente isso, Ju. A morte não espera, ela chega como uma tsunami e leva toda base que tínhamos. E aí temos que aprender a construir nossa vida de novo, porque de verdade, não é nada fácil. Temos que aproveitar cada segundo e viver com os olhos voltados para o céu, porque é o que realmente importa. E um conselho que dou a todos desde que meu papai se foi: grave vídeos, audios, tirem fotos. Mas principalmente os vídeos. Porque meu Deus, não tem como explicar o quanto eu queria ouvir sua voz de novo! O texto tá lindo, Ju. Todos precisam ler isso. Um beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Nath e valeu pelas dicas. Meu pai gosta muita de tirar fotos e fazer vídeos, foi bom saber dissso ♥

      Excluir
  3. Eu também acho que não se deve ter medo da morte, viu?
    Estou contigo nessa. Deveríamos falar mais sobre isso, sem sermos considerados suicidas etc.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Lidar com despedidas já não é algo fácil. Lidar com a morte então... é doloroso, é avassalador!
    Certas despedidas doem, mas temos aquele conforto de que muito em breve veremos o outro. Isso acaba nos confortando!
    Aceitar uma despedida definitiva (ok, é o material que se vai) é complicado demais e não desejo pra ninguém.

    beijos
    http://jurodemindinho.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Nunca perdi ninguém muito próximo, mas só de imaginar já me sinto mal, acho que não se como seria minha reação. :(

    ResponderExcluir
  6. Acho que nunca li um texto tão compreensível sobre a morte. Estava esperando algo sombrio e deprimente, mas me comoveu como um abraço apertado e quentinho. Concordo com as tuas palavras!

    literarizei.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, fico tão feliz ao ler isso :D Não queria criar mais uma perspectiva deprimente sobre a morte

      Excluir

Google +

Facebook

Quote #1

"Devemos sempre acreditar que, por mais difícil que seja, lutar por aquilo que queremos não é perda de tempo."

- Anne Ferreira