Livros que lembram a minha infância

22.4.15

Quando vi essa sugestão de blogagem coletiva no grupo Blogs que interagem, fiquei super empolgada! Meu amor por leitura começou desde cedo, eu não lia muita coisa, mas ficava fascinada com cada livro que me era dado. Aqui em casa ninguém é muito de ler (todos os livros da casa são meus), mas minha tia sempre me dava kits de livros infantis com várias historinhas legais que eu lia todos os dias. No colégio que eu estudava, só fizeram uma biblioteca quando eu estava na 3ª série, eu acho (a escola ia até a 4ª série) e o dia da turma ir pra lá era o mais feliz da semana. Essa lembrança da minha primeira carteirinha de sócia da biblioteca, das mesinhas coloridas, das pilhas e pilhas de livros é uma das mais lindas que guardo da escola.

Foi nessa época que comecei a ter um contato maior com os livros e podia escolher o que eu queria ler. Depois disso continue visitando a biblioteca das outras escolas que eu estudei, mas eu já não era tão criança e os professores pediam livros mais dídáticos para serem lidos, mas mesmo assim ainda lembro de alguns que eu li e me apaixonei. Acompanhem o post que irei fazer um breve comentário sobre eles! 

A botija de ouro 
Se minha memória não falha, esse foi o primeiro livro que peguei na biblioteca da escola. Conta a história de uma escrava negrinha, sem nome e que comia parede e de tanto comé-las, encontrou uma botija de ouro escondida nelas. O senhor e o feitor desconfiados da luz que viram com a negrinha e que ela dizia ser vagalumes, acorrentaram-na no tronco e jogaram mel nela para que durante a noite as formigas a devorassem. Poré, todas as noites centenas de vagalumes iam espantar as formigas e assim salvaram a negrinha por muitas e muitas noites, até que ela ficou tão magra que conseguiu se soltar das correntes. Voltando para a fazenda, estregou a botija ao seu senhor, que não soube fechá-la e dela jorrou tantas moedas de ouro que afundaram a casa e os escravos ficaram livres.


A cor da ternura
Li esse livro quando tinha uns 10 anos, foi a primeira literatura mais "madura" que li. Como já faz muito tempo, confesso que nãome recordo dos detalhes da história, mas sei que narra a história de Geni, uma menina pobre e negra que desde pequena viveu rodeada de preconceitos e descriminação por sua cor. A personagem estava sempre rodeada por grandes mulheres trabalhadoras, como a sua mãe, sua vó e a parteira. Geni era uma garota que carregava muito afeto e amor no coração, só assim conseguiu derrubar as barreiras do racismo que lhe apareceu durante toda a vida e alcançou com muito esforço os seus objetivos.





Irmão negro
Este livro também conta a história de um garoto branco, Léo, que sempre quis ter um irmão, até que descobre que sua tia faleceu e deixou um filho, Sérgio, que logo a mãe de Léo adotaria. O que ele não sabia era que seu primo era negro, então ambos sofrem muita descriminação por parte dos amigos de Léo, que rejeitam e humilham Sérgio sempre que podem, uma vez o garoto foi até preso por um policial por estar usando um boné muito parecido com o dala loja da qual ele estava próxima. No final, o preconceito é quebrado e todos descobrem o quanto aquele garoto negro é uma boa pessoa e que a cor da pele não pode ser critério para definir a índole de alguém.







Patty Palito
Esse livro foi o mais importante na minha transição da infância para a adolescência. Essa é a história de Patty, uma jovem gordinha, porém que nunca se preocupou com isso, porém, ao trocar de colégio acaba sofrendo "bullying" pelas novas colegas classe e torna-se complexada com o seu corpo. Por causa disso, Patty abre mão escondido de suas refeições e cada vez mais vai perdendo peso até trornar-se anoréxica. Quando fica internada e recebe a visita de seu melhor amigo que confessa ser apaixonado por ela, Patty percebe que quem a ama de verdade vai gostar dela gorda ou magra, mas principalmente com saúde. Contando com a ajuda dos seus amigos de verdade, a garota vence a anorexia.




Ponte para Terabítia
Jess é um garoto do interior que mora com os pais e é constantemente subestimado e esquecido pelos pais e por suas irmãs, até que conhece Leslie, sua nova vizinha. A garota veste roupas estranhas e tem um estilo de vida diferente de Jess, mas eles se dão muito bem e logo viram melhores amigos. Todos os dias quando voltam do colégio, Leslie e Jess vão para a floresta perto de suas casas, onde lá eles criaram um mundo novo e mágico que só existe na imaginação deles, mas que é capaz de divertí-los e desligá-los da realidade, que eles chamaram de Terabítia. Em um dia chuvoso, Leslie foi pra o reino sozinha, até que um desastre acontece e a corda que eles usavam para atravessar o rio arrebenta e a garota se afoga na correnteza. Foi difícil para Jess (e para mim) superar a morte da sua melhor amiga, mas com o tempo a magia e o sonho que Leslie colocou no coração do garoto o impedem de continuar triste, é aí então que Jess decide continuar visitando Terabítia e nomeia uma nova rainha para aquele lugar.


 A mina de ouro
De todos, esse é o livro mais grosso. Lembro que levei muito tempo para terminá-lo (eu não estava acostumada com leituras tão extensas) e o dia que consegui foi um marco histórico. A história conta a aventura de seis crianças e o cachorrinho samba que durante um piquenique se perderam na mina do juraguá. Elas ficaram presas em um labirinto de grutas durante muitos dias, onde viveram momentos de medo e fome. Finalmente, quando acham a saída, ela está mesmo em uma gruta cheia de ouro que deixa as crianças encantadas e elas até pegam muitas pedras e a guardam no bolso, mas durante a saída da mina, todas eles caem, porém as crianças percebem que nada compra aquela liberdade e o alívio de terem saído daquele lugar.






Quando paro para escrever esses posts é que percebo o quanto os livros foram importantes na construção da minha personalidade, principalmente na minha infância, onde esses livros que muitas pessoas podem achar bobos e sem conteúdo, me transmitiram mensagens muito importantes e que levo comigo até hoje. Como vocês podem ver, no colégio nós éramos incentivados a ler literatura negra para crianças e assim nos concientizarmos sobre o racismo. Também descobri com esses livros o quanto a liberdade vale mais que o ouro, que a nossa aparência não diz nada sobre quem somos de verdade e descobri pela primeira vez o sabor da aventura e da magia de sonhar.

Espero que tenham gostado do post, pois eu amei relembrar essas histórias, Me contem aqui nos comentários se vocês já leram algum desses livros e quais marcaram a infância de vocês, tenho certeza que temos muito a coversar sobre isso. Beijos!

Esse é um post da blogagem coletiva do grupo Blogs que interagem.

Que tal esses?

18 comentários

  1. Olá!
    Realmente esses livros têm uma temática ótima e com certeza contribuem para a formação da criança/adolescente!
    Eu já li "Irmão Negro" e "A Mina de Ouro" e lembro que gostei muito dos dois (mas, mais de "A Mina de Ouro", esse eu lembro que eu devorei, hehe).
    Beijo.
    Choque Literário

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso mesmo, eles são fundamentais na formação do caráter. Que legal encontrar alguém que já leu esses livros também! :D

      Excluir
  2. Não li nenhum desses livros :/ Mas adoro o filme Ponte para Terabítia, queria muito ter lido o livro quando era criança ^^
    Que blog fofo, seguindo :*

    Sorriso Espontâneo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda dá tempo de ler hahaha Obrigada querida :*

      Excluir
  3. De todos esses livros eu só li a Mina de Ouro.
    Um livro que marcou muito a minha infância foi Sozinha no Mundo.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Yeeah, não tinha noção que A mina de ouro era tão conhecido assim :D
      Nunca li esse não :/

      Excluir
  4. Nossa não conheço nenhum deles acredita? Não tenho recordações de livros que marcaram a minha infância, lia muito livros de contos como branca de neve, coleção do folclore e etc. Beijos !
    www.alicesantana.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também lia muitos desse livrinhos infantis :D

      Excluir
  5. Oi Juh, primeira vez qui no seu blog, que é muito lindo parabéns! VC é Pernambucana tbmm?! Não conheço nenhum desses livros mais achei interessante o da Patty Palito.

    http://ironicallyvitoria.blogspot.com.br/ ♥ bjs

    ResponderExcluir
  6. OMG PATTY PALITO :~ eu amava esse livro, mas olhando pra trás agora acho que era meio pesado né hahaha pq eu li bem pequeninha. da minha infância lembro também de codinome duda, depois duda 2: a missão e pollyana e depois polyanna moça :) ai acho q vou participar da tag, saudades livros antigos hahaha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Achei Patty Palito na medida para a faixa etárea dele :D Nunca ouvi falar desse aí :( Suadades livros antigo também hahaha

      Excluir
  7. Hey liinda, falei sobre seu blog lá no meu! Confira:
    http://gisellycarvalho.blogspot.com.br/2015/04/blogs-novos-que-estou-amando.html

    Beijiiinhos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai que fofa *--* Muito obrigada querida, vou dar uma olhadinha :D

      Excluir
  8. Eu odiva ler quando era menor, agora que fui pegar o gosto pela leitura. Mas eu era louca pelos gibis da Mônica hahahaha Ponte para Terabitia eu só vi o filme, e esse Patty Palito me deu vontade de ler <3

    kaliforniana.blogspot.com
    https://www.facebook.com/kalifornianablog

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também amaaaava gibis e agora estou me questionando o porquê de não ter falado sobre eles :(

      Excluir
  9. Que saudades. nostalgia pura, a botija de ouro <3

    www.saidaminhalente.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hehein, tão legal encontrar alguém que leu o mesmo livro que a gente :D

      Excluir

Google +

Facebook

Quote #1

"Devemos sempre acreditar que, por mais difícil que seja, lutar por aquilo que queremos não é perda de tempo."

- Anne Ferreira