música

Bateu nostalgia da adolescência e fiz playlist no Spotify

Dia desses eu estava revirando meu baú de memórias da adolescência e me bateu uma nostalgia imensa. Comecei a lembrar minhas aventuras dos 11 aos 15 anos e imediatamente uma playlist começou a tocar na minha cabeça. Corri no Spotify pra ouvir essas canções e logo ativou o meu modo adolescente: recordei a minha personalidade, as coisas que eu acreditava, as coisas que queria ser, vários momentos bons e ruins que vivi... 

Engraçado isso, né? A música sempre refaz sensações antigas, reconstrói cenários e sentimentos. Aproveitei que já estava pelo Spotify e resolvi reunir as músicas que eu mais curtia ouvir na adolescência em uma playlist, assim fica mais fácil ouvi-las quando bater a nostalgia novamente.


É isso aí, essa princesinha que hoje só escuta TS, Tiago Iorc e Anavitória já foi muito viciada em Green Day, 30th Seconds To Mars e Paramore. Falando assim, nem parece a mesma eu, mas eu juro que era! Naquela época eu amava um som mais pesado, solos de guitarra, músicas bem ideológicas e revoltadas. Com um tempo, fui intercalando isso com músicas mais lentas e deprês (os crushes já começavam a machucar a gente), depois disso eu caí no MPB e larguei quase de mão as músicas internacionais.

O que vocês costumavam ouvir na adolescência? Se identificou com alguma música/banda dessa playlist? Me contem aqui nos comentários, vou amar esse bate papo direto do túnel do tempo, hahaha. Beijos!
filmes e séries

Série da vez: La casa de papel

Perceberam que faz bastante tempo que faço um "Série da vez"? Isso aconteceu porque realmente faz muito tempo que não me dedico e me apaixono por uma série nova, por isso, sempre que inicio alguma, nunca chego até o final. Semana passada isso mudou. A internet inteira estava falando de La Casa De Papel, mas eu ainda não tinha parado para pesquisar sobre a trama, foi quando minha amiga da faculdade fez aquele drama básico e disse que eu p-r-e-c-i-s-a-v-a assistir essa série.

Na verdade, essa é uma minissérie espanhola lançada com 15 episódios nas telinhas de lá, mas que a Netflix a organizou como série e em duas temporadas. A primeira temporada ficou com 13 episódios e já está disponível na plataforma, mas a segunda você tem que assistir na internet se não aguentar a espera hahaha.

Se foi a melhor coisa que assisti esse ano? Que assisti na vida? Sim! La Casa De Papel conta a história de oito renomados ladrões que executam o maior e melhor plano de assalto do mundo: um roubo à Casa da Moeda da Espanha.

Nossos amados vilões usam nomes de cidades para não misturarem o plano infalível com suas vidas pessoais e nem serem identificados pela polícia: Tokio, Nairobi, Berlim, Denver, Rio, Moscou, Oslo e Helsinque, enquanto o líder dessa operação atende pelo codinome de Professor.

A história é narrada por Tokio e, em sua maior parte, se desenrola dentro da Casa da Moeda com os assaltantes e seus reféns e na tenda montada pelos órgãos de investigação, contando ainda com flashbacks dos ladrões nos cinco meses de preparação que antecederam o assalto.

Mas não pensem que essa é uma história crua de um assalto. Durante os episódios, vamos descobrindo conflitos pessoais dos assaltantes, dos reféns e dos policias. Questiona-se o certo e o errado, as oportunidades, os objetivos, valores éticos e morais, o amor, o instinto de sobrevivência e condutas rotuladas como de vilão e de mocinho.

É por isso que La Casa De Papel envolve tanto a gente. O tempo inteiro eu me imaginava em todos os papéis, o que eu faria no lugar deles, se concordo com suas razões, com a maneira como agem... me identifiquei com alguns, torci pelo fracasso de outros, ri, chorei, vibrei e vivi longas horas de assalto dentro da Casa da Moeda, vestindo meu macacão vermelho e minha máscara de Salvador Dali.

O plano é tão bem elaborado que é impossível não torcer para os "nossos amigos com nomes de cidade". A gente se coloca no lugar deles mesmo, sabe? Se imagina dentro daquele grande ideal e torce para que eles saiam logo dali de dentro com os seus milhões. A polícia se sacrifica de todas as maneiras possíveis, mas o Professor dedicou sua vida inteira a elaborar esse plano, não tem como dar errado, não tem imprevisto... Ou será que tem? Só assistindo pra saber.

Espero ter plantado a sementinha da curiosidade na cabecinha de vocês, mas não quis dar spoiler nenhum da série, até porque fica bem mais instigante quando a gente vai assistir sem saber nadica de nada, não acham? No mais, recomendo muito, muito, muito La Cada de Papel.

Comentem aqui embaixo se vocês gostaram do post, se já assistiram a série ou ficaram com vontade começara agora. Beijos!
outros

4 objetivos para colocar em prática em 2018 (sem adiar!)

Essa é a hora que chego na cara de pau e digo: "Oi, sumidas!". Me digam que conhecem outra blogueira que desaparece tanto quanto eu, por favor! KKKKK, tô rindo, mas é de nervoso. Sei que quem me acompanha de verdade, sempre sabe e entende os meus motivos para sumir, já escrevi várias vezes sobre isso aqui. Fora isso, o blog é um hobby, não uma obrigação, por isso sempre me sinto bem à vontade pra ir e vir sempre que acho necessário.

Enfim, pulando a introdução de sempre, estou atrasada para fazer a tradicional listinha de promessas e desejos para o ano novo. Dessa vez não serão apenas anseios abstratos, mas obrigações morais para comigo mesma, coisas que não dá pra ficar pra depois, sabe? Talvez todo mundo já esteja cansado de ler sobre esse tipo de coisa, mas o ano só começa depois que se faz um post desse, né? Não importa se é no dia 01 ou 27, sempre dá tempo de esperançar. 

 
Se organizar, todo mundo se forma
Sim, esse ano eu me formo! Achei que os anos se arrastariam, mas voaram de um jeito que não consigo explicar. Ainda lembro do meu primeiro dia de aula, lembro a roupa que eu vestia, lembro daquele sentimento de mergulhar em um mundo novo e desconhecido, do consequente desânimo, dos desafios, de tudo. Agora, no meu último ano, espero que tudo flua bem, que eu não me desespere e consiga sobreviver à essa fase difícil. O plano é me organizar direitinho pra não ficar enrolada com o TCC, assuntos da faculdade, OAB, concurso, saúde mental... espero conseguir.

Passar na OAB (depressa)
A famigerada OAB se aproxima, é hora da guerra. Acredito que essa será a parte mais tensa do ano e não teria como ser diferente, a responsabilidade é imensa. Ainda estou tentando entrar numa rotina de estudos e traçar um plano de batalha para ter a vermelhinha em mãos antes de colar grau. Sério, a sensação de passar na OAB antes de concluir a faculdade deve ser semelhante a tirar uma carga de 01 tonelada nas costas. Espero sentir isso em breve.

Aprender a amar e aceitar meu cabelo
Quem me segue no instagram deve ter percebido o quanto eu era (ou ainda sou?) vaidosa nas minhas fotos, por isso mesmo em pouquíssimas delas eu aparecia com o meu cabelo natural. Acontece que eu não tenho progressiva e não sou tão viciada em chapinha, mas só me achava bonita e arrumada se estivesse com os cabelos escovados. Com essa revolução de cacheadas, não pude parar para refletir sobre a proposta e cheguei a conclusão que quero me achar bonita com o cabelo que tenho: volumoso, ondulado, indefinido. Já estou investindo nos produtinhos pra isso. Vocês tem alguma dica pra ter ondas perfeitas?

#GOVEGAN
Ano passado vi muita gente iniciando um processo de veganismo e sempre me perguntava: "Por que tanta gente está parando de comer carne? O que eles sabem que eu não sei?". Foi aí que assisti Okja, um filme de apertar o coração e então entendi porque estava todo mundo pensando a mesma coisa. O filme foi só um estalo, em seguida assisti outros documentários sobre a indústria da carne e dietas veganas que me fizeram (e ainda fazem) acreditar ainda mais na necessidade de parar de comer morte. É uma longa história, contarei tudo em outro post.

Aquelas promessas de entrar na academia, ser mais paciente, aprender um novo idioma e etc vão ficar pra depois. Que 2018 seja um ano do que realmente importa, do que é urgente, do que é pra agora. Além das obrigações acadêmicas, ter incluído essas transformações pessoais foi muito importante pra mim, até mesmo pra não passar pela minha cabeça desistir das minhas mudanças.

Espero que tenham gostado do post vou continuar tentando não sumir tanto. Não esqueçam de comentar o que acharam dos meus objetivos e o que esperam para o 2018 de vocês. Beijos!

Google +

Facebook

Quote #1

"Devemos sempre acreditar que, por mais difícil que seja, lutar por aquilo que queremos não é perda de tempo."

- Anne Ferreira