filmes e séries

Série da vez: La casa de papel

Perceberam que faz bastante tempo que faço um "Série da vez"? Isso aconteceu porque realmente faz muito tempo que não me dedico e me apaixono por uma série nova, por isso, sempre que inicio alguma, nunca chego até o final. Semana passada isso mudou. A internet inteira estava falando de La Casa De Papel, mas eu ainda não tinha parado para pesquisar sobre a trama, foi quando minha amiga da faculdade fez aquele drama básico e disse que eu p-r-e-c-i-s-a-v-a assistir essa série.

Na verdade, essa é uma minissérie espanhola lançada com 15 episódios nas telinhas de lá, mas que a Netflix a organizou como série e em duas temporadas. A primeira temporada ficou com 13 episódios e já está disponível na plataforma, mas a segunda você tem que assistir na internet se não aguentar a espera hahaha.

Se foi a melhor coisa que assisti esse ano? Que assisti na vida? Sim! La Casa De Papel conta a história de oito renomados ladrões que executam o maior e melhor plano de assalto do mundo: um roubo à Casa da Moeda da Espanha.

Nossos amados vilões usam nomes de cidades para não misturarem o plano infalível com suas vidas pessoais e nem serem identificados pela polícia: Tokio, Nairobi, Berlim, Denver, Rio, Moscou, Oslo e Helsinque, enquanto o líder dessa operação atende pelo codinome de Professor.

A história é narrada por Tokio e, em sua maior parte, se desenrola dentro da Casa da Moeda com os assaltantes e seus reféns e na tenda montada pelos órgãos de investigação, contando ainda com flashbacks dos ladrões nos cinco meses de preparação que antecederam o assalto.

Mas não pensem que essa é uma história crua de um assalto. Durante os episódios, vamos descobrindo conflitos pessoais dos assaltantes, dos reféns e dos policias. Questiona-se o certo e o errado, as oportunidades, os objetivos, valores éticos e morais, o amor, o instinto de sobrevivência e condutas rotuladas como de vilão e de mocinho.

É por isso que La Casa De Papel envolve tanto a gente. O tempo inteiro eu me imaginava em todos os papéis, o que eu faria no lugar deles, se concordo com suas razões, com a maneira como agem... me identifiquei com alguns, torci pelo fracasso de outros, ri, chorei, vibrei e vivi longas horas de assalto dentro da Casa da Moeda, vestindo meu macacão vermelho e minha máscara de Salvador Dali.

O plano é tão bem elaborado que é impossível não torcer para os "nossos amigos com nomes de cidade". A gente se coloca no lugar deles mesmo, sabe? Se imagina dentro daquele grande ideal e torce para que eles saiam logo dali de dentro com os seus milhões. A polícia se sacrifica de todas as maneiras possíveis, mas o Professor dedicou sua vida inteira a elaborar esse plano, não tem como dar errado, não tem imprevisto... Ou será que tem? Só assistindo pra saber.

Espero ter plantado a sementinha da curiosidade na cabecinha de vocês, mas não quis dar spoiler nenhum da série, até porque fica bem mais instigante quando a gente vai assistir sem saber nadica de nada, não acham? No mais, recomendo muito, muito, muito La Cada de Papel.

Comentem aqui embaixo se vocês gostaram do post, se já assistiram a série ou ficaram com vontade começara agora. Beijos!
outros

4 objetivos para colocar em prática em 2018 (sem adiar!)

Essa é a hora que chego na cara de pau e digo: "Oi, sumidas!". Me digam que conhecem outra blogueira que desaparece tanto quanto eu, por favor! KKKKK, tô rindo, mas é de nervoso. Sei que quem me acompanha de verdade, sempre sabe e entende os meus motivos para sumir, já escrevi várias vezes sobre isso aqui. Fora isso, o blog é um hobby, não uma obrigação, por isso sempre me sinto bem à vontade pra ir e vir sempre que acho necessário.

Enfim, pulando a introdução de sempre, estou atrasada para fazer a tradicional listinha de promessas e desejos para o ano novo. Dessa vez não serão apenas anseios abstratos, mas obrigações morais para comigo mesma, coisas que não dá pra ficar pra depois, sabe? Talvez todo mundo já esteja cansado de ler sobre esse tipo de coisa, mas o ano só começa depois que se faz um post desse, né? Não importa se é no dia 01 ou 27, sempre dá tempo de esperançar. 

 
Se organizar, todo mundo se forma
Sim, esse ano eu me formo! Achei que os anos se arrastariam, mas voaram de um jeito que não consigo explicar. Ainda lembro do meu primeiro dia de aula, lembro a roupa que eu vestia, lembro daquele sentimento de mergulhar em um mundo novo e desconhecido, do consequente desânimo, dos desafios, de tudo. Agora, no meu último ano, espero que tudo flua bem, que eu não me desespere e consiga sobreviver à essa fase difícil. O plano é me organizar direitinho pra não ficar enrolada com o TCC, assuntos da faculdade, OAB, concurso, saúde mental... espero conseguir.

Passar na OAB (depressa)
A famigerada OAB se aproxima, é hora da guerra. Acredito que essa será a parte mais tensa do ano e não teria como ser diferente, a responsabilidade é imensa. Ainda estou tentando entrar numa rotina de estudos e traçar um plano de batalha para ter a vermelhinha em mãos antes de colar grau. Sério, a sensação de passar na OAB antes de concluir a faculdade deve ser semelhante a tirar uma carga de 01 tonelada nas costas. Espero sentir isso em breve.

Aprender a amar e aceitar meu cabelo
Quem me segue no instagram deve ter percebido o quanto eu era (ou ainda sou?) vaidosa nas minhas fotos, por isso mesmo em pouquíssimas delas eu aparecia com o meu cabelo natural. Acontece que eu não tenho progressiva e não sou tão viciada em chapinha, mas só me achava bonita e arrumada se estivesse com os cabelos escovados. Com essa revolução de cacheadas, não pude parar para refletir sobre a proposta e cheguei a conclusão que quero me achar bonita com o cabelo que tenho: volumoso, ondulado, indefinido. Já estou investindo nos produtinhos pra isso. Vocês tem alguma dica pra ter ondas perfeitas?

#GOVEGAN
Ano passado vi muita gente iniciando um processo de veganismo e sempre me perguntava: "Por que tanta gente está parando de comer carne? O que eles sabem que eu não sei?". Foi aí que assisti Okja, um filme de apertar o coração e então entendi porque estava todo mundo pensando a mesma coisa. O filme foi só um estalo, em seguida assisti outros documentários sobre a indústria da carne e dietas veganas que me fizeram (e ainda fazem) acreditar ainda mais na necessidade de parar de comer morte. É uma longa história, contarei tudo em outro post.

Aquelas promessas de entrar na academia, ser mais paciente, aprender um novo idioma e etc vão ficar pra depois. Que 2018 seja um ano do que realmente importa, do que é urgente, do que é pra agora. Além das obrigações acadêmicas, ter incluído essas transformações pessoais foi muito importante pra mim, até mesmo pra não passar pela minha cabeça desistir das minhas mudanças.

Espero que tenham gostado do post vou continuar tentando não sumir tanto. Não esqueçam de comentar o que acharam dos meus objetivos e o que esperam para o 2018 de vocês. Beijos!
beleza

Review: Máscara de Reconstrução Be(m)dita Ghee - Lola Cosmetics

O primeiro produtinho da Lola Cosmetics a gente não esquece, né mores? Jás faz muito tempo que namoro várias linhas da marca, mas sempre ficava em dúvida sobre qual levar e se funcionaria mesmo, até que um belo dia, em uma daquelas compras que encho o carrinho e não levo nada, me deparei com a amada Máscara de Reconstrução Be(m)dita Ghee e caí de amores. Comprei!

Antes de dar a minha opinião sobre a máscara, queria dizer que não sou a pessoa mais entendida e preocupada com  cabelo, dessas que faz cronograma capilar, entende todas as necessidades do fio e tudo mais. Só leio a embalagem dos produtos e compro dependendo do quanto vou me agradar daquela proposta. Isso é certo? Não, mas segue o baile.

Eu não sabia quase nada dessa máscara quando a comprei. Como já disse, não sou muito entendida e nem interessada nessas coisas, mas depois que ela chegou, dei uma pesquisada pra entender como tudo funciona. 

O que é Ghee?
Pelo que andei pesquisando no site da própria marca, "A Ghee é uma manteiga de frutas vegana, vegetal e orgânica, para tratamento capilar, à base de água de coco, um ativo rico em aminoácidos". O que dizer dessa Ghee que mal conheço e já considero pakas?

O que a Be(m)dita hee faz para os nossos cabelos?
A máscara promete repor a massa perdida pelos fios após processos químicos, mecânicos e ambientais, além de devolver a força  e resistência necessárias para livrar nossas madeixas da quebra e da elasticidade, recuperando a maleabilidade natural.

O que contém essa tal de máscara de reconstrução?
Papaya, Aminoácidos e Queratina Vegetal, Água de Coco e Óleo essencial de Tangerina.

Agora deixando essa parte técnica de lado e partindo para as minhas impressões pessoais, queria dizer que a máscara e a própria marca me surpreenderam por vários motivos. Não é sempre que a gente encontra um produto tão bom e tão caprichado assim. Muito amor por tu, Lola!

Cheirinho e consitência
Jesus amado, quando abri esse pote, a vontade que eu tive foi de comer. Sério! Que cheiro maravilhosos de mamão, e olhe que eu nem como a fruta, mas admito que o cheiro é super gostoso. Quanto à consistência, a Ghee não é nem uma manteiga derretida, nem uma manteiga congelada, hahahaha. Com isso eu quis dizer que ela não é das mais firmes, mas se você virar o pote de cabeça para baixo, ela não vai escorrer loucamente.

Embalagem
O primeiro fator que me levou a comprar a Be(m)dita Ghee foi essa embalagem de Mason Jar. Vai, fala sério, onde mais se vê uma fofura dessas? Como se já não bastasse, a máscara veio com uma bolsinha transparente (que amo colecionar e levar para viagens) escrito: "Se perguntarem o que você faz, responda: Sucesso!" e um sacolão daqueles de fazer feira, escrito: "Um mamão vai na cabeça, o movimento é sexy". Morri de amores (e de rir)!

Resultado no meu cabelo
Não sei se meu cabelo é tão detonado assim, por isso achei que uma máscara de reconstrução seria um tratamento muito forte pra ele. Fiquei pensando que os fios iam ficar grossos, espigados, sem movimento - aquele tão temido efeito contrário. Nada disso aconteceu, parecia até que eu tinha passado uma máscara de hidratação! Meus fios ficaram macios, leves, sedosos e com as pontas bem seladinhas. Não sei se as fotos mostram bem, mas esse é meu cabelo após a aplicação da máscara, secado naturalmente. Olha, amei forte!

Outros pontos forte do produto
Amei a preocupação da Lola na fórmula da máscara. Além de não ser testada em animais, a Be(m)dita Ghee não contém ingredientes de origem animal, nem Glúten, Sulfatos, Corantes Sintéticos, Ftalatos, Parafina, Silicone Insolúvel, Derivados de Animais, Parabenos, OGMs, Cloreto de Sódio e Óleo Mineral. Tá bom ou quer mais?

A Be(m)dita tem irmãs + onde comprar
Uma Ghee é pouca, duas é bom, três é demais! Sim, tem Hidratação, Nutrição e Reconstrução para os seus fios, dá pra fazer cronograma capilar só com essa linha! Espero que a parte de "Edição Limitada" seja só brincadeira da Lola. Ah, você pode comprar essa belezura no site da Época Cosméticos, onde eu comprei.

Esse é o primeiro post que faço sobre produto de cabelos e eu sei, ficou enooorme, mas é que gosto de compartilhar tudo nos mínimos detalhes, no capricho. Me perdoem, tá? Se quiserem opiniões mais rápidas, me acompanhem no instagram que sempre mostro umas novidades por lá.
De toda forma, não poderia de deixar essa oportunidade passar. Eu amei esse primeiro contato e experiência com a Lola Cosmetics, assim como com a própria Be(m)dita Ghee. Já estou louca para comprar as máscaras de Hidratação e Nutrição e virar a louca do cronograma capilar, hahaha.

Mas e vocês? Já usaram algum produto da Lola? Já conhecem ou experimentaram a Be(m)dita Ghee? O que acharam? Tem mais algum produto da marca que me recomendam? Me contem tuuudo aqui nos comentários, estou louca pra saber. Beijos!

Google +

Facebook

Quote #1

"Devemos sempre acreditar que, por mais difícil que seja, lutar por aquilo que queremos não é perda de tempo."

- Anne Ferreira